sábado, 14 de maio de 2011

A música

tenho a música dentro ela me habita
quando levanto já ela me espera
quando caminho ela caminha na minha frente
eu sempre estou dançando na minha carne
sempre estou ouvindo um som que a minha alma
sabe que existe apesar da dissonância
da minha vida

Por
Vera Lúcia de Oliveira
(Brasil)
in Divina Música,
Conservatório de Viseu, 2010

10 comentários:

  1. A música não será uma necessidade vital? Creio que sim. Tal como o azul do céu, do mar, a policromia dos campos nos alegram a alma também a música dá energia, força, alegria à nossa vida.
    Bem-hajas!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Entre a vida e a música há diferenças...enquanto a música enche a vida...de ritmo,de alegria, de cor...a vida fica a perder se quiser fazer o mesmo à música ...daí,penso eu, a dissonância...
    À semelhança do que sucede à realidade e aos sonhos...há realidade a mais e sonhos a menos...

    Gostei muito dos comentários que deixou por lá. Obrigada.

    Bom domingo
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. O que seria da vida sem música, sem esse sentir que nos faz sonhar e tentar viver com mais harmonia.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Lindo! Tenho o privilégio de o ler impresso, e isso graças à sua grande amizade!

    Um poema que me leva a Teolinda Gersão, como sabe!
    Mas também a Fernando Pessoa, e a Jorge de Sena!

    A música! Esse reduto da alma!

    É com alegria que tento retomar esta amizade virtual, visitando
    todos os 'amigos' que estão sempre por perto!

    Excelente semana!

    Um beijo,

    ResponderEliminar
  5. Vim para lhe deixar votos de boa semana!

    Um beijo,

    ResponderEliminar
  6. Ah, a música... quem pode não a sentir na alma e não a transformar em vida?

    ResponderEliminar
  7. A música, pra mim, é a mais intensa e consumível vertente da arte!

    Boa proposta!

    []s

    ResponderEliminar
  8. O teu comentário soou-me a música e da melhor qualidade...Muito grata por isso!!! Beijo

    ResponderEliminar
  9. Gosto da música das folhas segurando a aragem fresca da noite.
    Gosto da música dos passarinhos que me fazem cantar com eles .
    Gosto da música que salta nos ribeiros que me habitam.

    ResponderEliminar